22/09/2010 23:18

Será que a cafeína pode causar insanidade?

 Matou sua mulher? Fácil. Diga que tinha tomado muito café. Pois é. Em Kentucky, um estado dos EUA, um homem alegou insanidade temporária causada por intoxicação por cafeína como estratégia jurídica à alegação de que ele não tinha assassinado sua mulher.

Woody Will Smith, 33 anos, estrangulou sua esposa até a morte com um cabo de extensão em 4 de maio de 2009. Seu advogado diz que ele tornou-se mentalmente instável depois de semanas consumindo bebidas refrigerantes, energéticos e pílulas de dieta de cafeína.

O advogado ainda disse ao tribunal que o alto nível de cafeína deixou seu cliente tão mentalmente instável que ele não poderia ter de conhecimento que matou sua esposa. Seria isso sequer possível?

Defesas desse tipo já tiveram sucesso antes. Daniel Noble, 31, acusado por ter atropelado e quebrado a perna de dois alunos na Washington State University, se viu livre das acusações quando se descobriu que ele sofria de transtorno bipolar diagnosticado. No entanto, o juiz o proibiu de consumir todos os produtos com cafeína.

Psicose induzida por cafeína não é reconhecida pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, livro de referência para os psicólogos quando eles têm que dar diagnóstico clínico. No entanto, o livro não reconhece intoxicação por cafeína, em que uma pessoa pode sofrer de efeitos ruins após a ingestão de 250 miligramas de cafeína (cerca de duas a três xícaras de café feito em casa), ou mais.

Os sintomas de intoxicação por cafeína incluem fluxo de pensamento e de expressão, arritmia cardíaca, espasmos musculares, distúrbios gastrintestinais, insônia, agitação e nervosismo.

Um estudo de 2009 determinou que pessoas que ingerem cafeína equivalente a três xícaras de café preparado (ou sete xícaras de café instantâneo) são mais propensos a ter alucinações.

Reações nervosas à cafeína, como roer as unhas, podem ter explicação hereditária. Pessoas com determinadas variações genéticas são mais propensas a roer as unhas depois de beber cafeína. Há também pesquisas que testaram quanta cafeína é necessária para ter ansiedade, e descobriram que a maior dose utilizada no estudo (450 mg) causou aumento de ansiedade.

Porém, embora doses tão elevadas quanto 450 mg de cafeína fez com que alguns indivíduos sentissem efeitos negativos, incluindo náuseas, nervosismo ou agitação, nenhuma raiva ou hostilidade foi notada ou aumentada pela cafeína.

Já doenças mentais ou comportamentais podem tornar os efeitos da cafeína ainda piores para alguns. Pessoas com transtorno de ansiedade subjacente podem ser mais sensíveis aos efeitos da cafeína.

Ao que parece, cada caso tem que ser analisado isoladamente. Ainda assim, os efeitos da cafeína ainda não são muito claros.

—————

Voltar


http://jccontabilidade.webnode.com.br