24/05/2010 16:24

Perspectivas para Aduana do futuro é tema de palestra:

Perspectivas para Aduana do futuro é tema de palestra

 

As perspectivas para Aduana do futuro foi o tema da palestra que encerrou a manhã do seminário “Uma Receita Federal para a Sociedade – Aduana e Lei Orgânica – instrumento de proteção da sociedade", realizado em Manaus, na última sexta-feira (21/5), em Manaus. O doutor em contabilidade e controladoria, Auditor-Fiscal Jorge de Souza Bispo, abordou o panorama atual, problemas, perspectivas e propostas para uma Aduana mais eficiente.

As perspectivas para Aduana do futuro foi o tema da palestra que encerrou a manhã do seminário “Uma Receita Federal para a Sociedade – Aduana e Lei Orgânica – instrumento de proteção da sociedade", realizado em Manaus, na última sexta-feira (21/5), em Manaus. O doutor em contabilidade e controladoria, Auditor-Fiscal Jorge de Souza Bispo, abordou o panorama atual, problemas, perspectivas e propostas para uma Aduana mais eficiente.

O mestre em Gestão Empresarial relembrou um pouco da história da aduana, o crescimento do comércio exterior e a complexidade e diversidade da legislação, com seus excessos de atos normativos. O Auditor também apresentou dados atuais de exportação e importação. Segundo ele, em 2009, as exportações alçaram U$ 152.756 mil, já as importações U$ 127.628 mil.

“Talvez, o Auditor que mais conheça legislação aduaneira seja o da 2ª Região Fiscal, porque também conhece a legislação específica da Zona Franca de Manaus. No entanto, quando se familiariza com as normas, é removido. A rotatividade nesse caso não é benéfica, porque conhecer a legislação aduaneira requer tempo”, avaliou.

A logística, o conhecimento dos operadores, identificação das mercadorias, quantitativo de pessoal dos órgãos envolvidos também foram alvo das críticas de Jorge Bispo. Na avaliação dele, a nova Aduana deverá ser mais ágil, contar com novos sistemas e novos servidores. O Auditor ainda defendeu a criação de novos canais de liberação, bem como a divisão de contribuintes por grupos de risco.

Para Jorge Bispo, uma Aduana melhor será possível a partir da simplificação da legislação e da celebração de convênios entre os países, a fim de se permitir uma maior troca de informações. Para ele, também é fundamental a informatização das faturas, ou seja, um maior investimento na zona secundária, com o correto aparelhamento dos operadores para  a otimização do trabalho.

—————

Voltar


http://jccontabilidade.webnode.com.br